CBI registra sistemas VMC em caso de fraude bancária

O desenvolvimento ocorre apenas nove meses depois que o banco do setor público foi atingido por uma fraude de Rs 13.500 crore nas mãos dos joalheiros Nirav Modi e Mehul Choksi.

Chhattisgarh sex cd, chhattisgarh ministro demitido, Rajesh Munat, chattisgarh MorphedA agência realizou buscas em 3 locais em Hyderabad, na residência e no escritório dos diretores

O Central Bureau of Investigation (CBI) registrou em uma reclamação do Banco Nacional do Punjab (PNB) um caso de fraude de empréstimo no valor de Rs 1.700 crore, desembolsado por um consórcio de bancos, contra a empresa VMC, sediada em Hyderabad Sistemas e seus promotores. O desenvolvimento ocorre apenas nove meses depois que o banco do setor público foi atingido por uma fraude de Rs 13.500 crore nas mãos dos joalheiros Nirav Modi e Mehul Choksi.



A agência entrou com uma ação contra a empresa de fabricação de equipamentos de telecomunicações junto com seus promotores Vuppalapati Hima Bindu, Vuppalapati Venkat Rama Rao e Bhagavatula Venkat Ramanna por suposta conspiração criminosa, trapaças e falsificações. A agência realizou buscas em três locais em Hyderabad, na residência e no escritório dos diretores, disseram as fontes.

De acordo com a reclamação apresentada pelo PNB, a empresa deixou de pagar empréstimos no valor de mais de Rs 1.700 crore a um consórcio de bancos. Alega-se que Rs 539 crore são dívidas pendentes para si mesma, enquanto os restantes Rs 1.207 crore estão pendentes para o State Bank of India, Corporation Bank, Andhra Bank, JM Financial Assets Reconstruction Company.



A empresa utilizou linhas de crédito de capital de giro em 12 de agosto de 2009 no valor de Rs 1.010,50 crore, disse o banco. Alega que a empresa desviou os fundos dados a título de empréstimo pelo consórcio de bancos. A empresa supostamente direcionou Rs 43.83 crore por meio de contas correntes fora do consórcio sem a permissão do consórcio entre 1 de abril de 2013 e 30 de abril de 2014.



A empresa alegou que não poderia pagar os valores do empréstimo por causa das dívidas pendentes da BSNL, ao qual era o principal fornecedor, mas os bancos descobriram que as taxas da BSNL eram de apenas Rs 33,09 crore contra Rs 262 crore reclamados pela empresa. A empresa também mostrou outras contas a receber da ITI Ltd, Neutrino Power Systems, Vee Pee Systems, etc, agregando Rs 352,99 crore, mas quando a SBI abordou o assunto com eles, eles negaram o mesmo.