‘65% das nações de renda média-baixa cortam orçamentos para a educação’

Para compreender o impacto de curto prazo da pandemia Covid-19 nos orçamentos para a educação, foram coletadas informações para uma amostra de 29 países em todas as regiões. A amostra representa cerca de 54 por cento da população mundial em idade escolar e universitária, disse.

Após o início da pandemia Covid-19, os orçamentos para educação foram cortados em 65% dos países de renda baixa e média-baixa, enquanto 33% das nações de renda alta e média-alta o fizeram, de acordo com um relatório do Banco Mundial. Compilado em colaboração com o Relatório de Monitoramento da Educação Global da UNESCO, ele disse que os níveis atuais de gastos do governo em nações de renda baixa e média-baixa ficam aquém do necessário para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.



Para compreender o impacto de curto prazo da pandemia Covid-19 nos orçamentos para a educação, foram coletadas informações para uma amostra de 29 países em todas as regiões. A amostra representa cerca de 54 por cento da população mundial em idade escolar e universitária, disse.

A resposta à crise da Covid-19 requer gastos adicionais para adaptar as escolas para o cumprimento das medidas necessárias para controlar o contágio e para financiar programas para compensar as perdas de alunos que aprenderam enquanto as escolas estavam fechadas.



Notícias principais agora Clique aqui para mais

A amostra inclui três países de baixa renda (Afeganistão, Etiópia, Uganda); 14 países de renda média baixa (Bangladesh, Egito, Índia, Quênia, República do Quirguistão, Marrocos, Mianmar, Nepal, Nigéria, Paquistão, Filipinas, Tanzânia, Ucrânia, Uzbequistão); 10 nações de renda média alta (Argentina, Brasil, Colômbia, Jordânia, Indonésia, Cazaquistão, México, Peru, Rússia, Turquia); e dois países de alta renda (Chile, Panamá).